Blog do Mario

2009/10/14

Memorial Virtual Centenário das Assembléias de Deus no Brasil

Filed under: história pentecostalismo,igreja — mariogoncalves @ 1:59 pm

CPAD lança museu e Memorial Virtual do Centenário das Assembléias de Deus no Brasil: clique aqui para ler o livro.


Anúncios

2009/07/17

Efeitos nocivos na lavoura de Cristo

Filed under: igreja — mariogoncalves @ 4:31 pm

Erwin Lutzer, em um de seus livros, usou uma ilustração bem apropriada para exemplificar os desdobramentos de certas técnicas usadas em diversas igrejas. Grande parte desses métodos são oriundos do pragmatismo americano.

Parafraseando é mais ou menos o seguinte:

“Quando trabalhamos de forma apropriada na terra, utilizando adubos naturais, água e iluminação adequados, limpeza e poda no tempo correto, o crescimento da plantação nem sempre é rápido, porém é firme e constante. Por suas vez ,os frutos também são naturalmente saudáveis. No afã de aumentar a produtividade e eliminar possíveis pragas, o agricultor utiliza agrotóxicos que aceleram o crescimento e deixam a plantação viçosa e exuberante. Mas o veneno usado não mata somente as pragas, ele compromete para sempre a fertilidade do solo. Produz frutos aparentemente belos e desejáveis mas deixe o solo estéril, sem condições de produzir mais nada.

O que temos semeado nos nossos cultos de uma forma geral? Soluções imediatistas e funcionais? Promessas que não encontram base sólida nas Escrituras?

Percebemos nas Igrejas pessoas cansadas, entendiadas, querendo algo mas nem sabem o quê! Sedentas de ouvir a Palavra de Deus. A longo prazo, o resultado é frustração COM DEUS, por causa de pseudoprofetas e pregadores que utilizam mais a psicologia e filosofia do que a própria Palavra ou mensagens de vitória e prosperidade. Concebemos uma geração de cristãos egoístas, ganaciosos e interesseiros que pensam só nas bênçãos de Deus e não NELE. Nosso “amor” por Deus é facilmente desconstruído a medida que os revezes e as adversidades nos assolam.

Em contrapartida, nos cultos de Edificação Cristã, onde o foco deveria ser o ensino bíblico, exaltam-se os tempos antigos confundindo doutrinas com usos e costumes e vice-versa, tratando dos nossos problemas (principalmente o pecado) somente de forma externa e superficial, ficando a sujeira dos nossos corações disfarçada pelo estereótipo denominacional.

Merecemos algo de Deus? Nunca, é só pela Graça que somos salvos. Mas as técnicas de pregação, louvor, performances e etc, uma vez usadas, nos tornam dependentes. Estamos viciados em mensagens de ânimo e conforto, porém não é disso que precisamos.

Precisamos de um avivamento! Através de pregações bíblicas, apaixonadas e fervorosas e atitudes contrárias a tudo o que venha a denegrir o Evangelho. “A Bíblia nos traz conforto e confronto, mas somente o confronto nos transforma!”

2009/05/06

Projeto PLC 122/2006 Faça a sua parte!!!

Filed under: igreja,política — mariogoncalves @ 5:56 pm

Após ler o alerta sobre a votação iminente do projeto PLC 122/2006 que trata da criminalização da homofobia no Blog do Pr. Geremias do Couto, resolvi fazer algo de concreto.

Fui até o Blog do Júlio Severo, copiei os emails do senadores e enviei uma breve mensagem a todos eles.

Sei que várias pessoas devem ter feito algo parecido e podemos ver a reação aqui.

Até agora, somente o senador Álvaro Dias me respondeu dizendo-se contrário a esse projeto.

Segue abaixo a resposta do senador e minha mensagem a todos eles:

RES: Contra a aprovação PLC 122/2006‏

De:

Sen. Alvaro Dias (ALVARODI@senado.gov.br)

Enviada:

quarta-feira, 6 de maio de 2009 11:47:32

Para:

Mario Gonçalves (mario_teclado@hotmail.com)

Eu sou contra a aprovação deste projeto. Entendo que o grupo que ele pretende proteger já encontra suficiente proteção na legislação do pais. E tem mais o PLC 122/2006 atenta contra a Constituição ao ferir o principio da livre manifestação do pensamento.Informo que o projeto encontra-se na Pauta de Votação da Comissão de Assuntos Sociais do Senado. Deveria ter sido votado na reunião de hoje,dia 6 de maio. Essa reunião,todavia, foi adiada. Deve ser ser realizada na próxima semana. De qualquer forma é bom saber que esse projeto não é terminativo,ou seja,se for aprovado ou rejeitado na CAS ele será submetido,obrigatoriamente, a apreciação do Plenário,onde votarei pela rejeição.

Cordialmente,

Alvaro Dias




http://www.senadoralvarodias.com/

</BLOG: title=http://www.blogalvarodias.com/ target="_blank" href="http://www.blogalvarodias.com/&quot; http://www.blogalvarodias.com/

De: Mario Gonçalves [mailto:mario_teclado@hotmail.com] Enviada em: quarta-feira, 6 de maio de 2009 10:27Para: Sen. Adelmir Santana; Sen. Almeida Lima; Sen. Aloizio Mercadante Oliva; Sen. Alvaro Dias; Sen. Antonio Carlos Magalhaes Junior; Sen. Antonio Carlos Valadares; Sen. Arthur Virgilio Neto; Sen. Augusto Affonso Botelho Neto; Sen. Cesar Borges; Sen. Cicero Lucena; Sen. Cristovam Buarque; Sen. Delcidio do Amaral Gomez; Sen. Demostenes Lazaro Xavier Torres; Sen. Edison Lobao; Sen. Eduardo Azeredo; Sen. Eduardo Suplicy; Sen. Efraim de Araujo Morais; Sen. Eliseu Resende; Sen. Epitacio Cafeteira; Sen. Euclydes Mello; Sen. Expedito Junior; Sen. Fatima Cleide Rodrigues da Silva; Sen. Flavio Jose Arns; Sen. Flexa Ribeiro; Sen. Francisco Dornelles; Sen. Garibaldi Alves Filho; Sen. Geraldo Mesquita; Sen. Gerson Camata; Sen. Gilvam Borges; Sen. Gim Argello; Sen. Heraclito de Sousa Fortes; Sen. Ideli Salvatti

Assunto: Contra a aprovação PLC 122/2006

Caros senadores,



Os direitos dos homossexuais e congêneres já está garantido por força da Constituição, assim como os meus e os seus direitos. É inconstitucional a aprovação do projeto PLC 122/2006, concedendo privilégios especiais a determinada opção sexual.



Discordar de uma preferência sexual não quer dizer que somos homofóbicos. Dessa forma, quem discorda da orientação heterossexual seria o quê? Heterofóbico? Então precisamos de um projeto semelhante que proteja os heterossexuais de discriminação.



A grandeza da democracia é justamente no nivelamento dos direitos humanos, todos são iguais perante a Lei. Não deve haver repressão e discriminação de ambas as partes.



Prometemos ,como cidadãos conscientes, que não esqueceremos das suas decisões nesse projeto nas próximas eleições…



Mario




2009/05/04

Nao tenho Teologia mas tenho joelho…

Filed under: igreja — mariogoncalves @ 8:19 pm

Depois de muito tempo, infelizmente ouvi essa frase desgastada de novo numa de nossas Igrejas Assembléia de Deus em Joinville. O obreiro que citou a tal frase transmitiu à Igreja uma palavra muito edificante, mas o que deixou transparecer com essa frase foi o seguinte: “Aquilo que eu falo vem direto de Deus e não de segunda mão.” Ou ainda, que teólogos oram muito pouco. O que pode ser verdade.

Muitos pregadores usam o versículo isolado de 2Co 3.6 “…a letra mata mas o espírito vivifica…” para condenar pessoas que investem em estudos teológicos e no aprofundamento das Escrituras, ignorando o próprio sentido do termo Teologia.
O termo, simplificando, significa discursos e falas acerca de Deus e/ou das suas obras. Isso quer dizer que tudo o que eu faço como cristão é Teologia. Quando evangelizo, oro, administro o culto, converso com outros irmãos sobre e Bíblia, estou fazendo teologia.

Uma análise simples do contexto de 2Co. 3.6 fica evidente que “a letra” referida pelo Apóstolo Paulo é a Lei, dada por Deus a Moisés e não conhecimento humano. Concordo que, se nos estribarmos somente em estudos e especulações teológicas não chegaremos a lugar algum e isso pode realmente nos matar espiritualmente, mas usar esse versículo para apoiar tal pensamento é um erro hermenêutico e exegético.

No final das contas, a palavra do meu digníssimo irmão era muito parecida com uma mensagem antiga do Pr. Geziel Gomes, onde ele compara as cinco pedrinhas de Davi com as palavras do profeta Isaías “… e o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz”.

Sem saber, ele usou bastante Teologia apesar que, de forma inadequada. Fez mais uma eisegese do que exegese.[1] Pode ser até que tenha decorado o DVD.

Como estudante de Teologia e apaixonado pela Palavra de Deus, tomo como minha responsabilidade, aproximar a espontaneidade das expressões do pentecostalismo (que é a marca desse avivamento histórico) com a ortodoxia das doutrinas bíblicas, para quê, numa construção eclesial séria e responsável, possamos edificar de maneira sábia o rebanho do Senhor.

Que venham os conflitos! São necessários na verdade!

[1] Exegese: tentativa de extrair de um texto seu significado original.
Eisegese: injetar de forma proposital ou não algo no texto, muitas vezes forçando seu sentido original.

2009/03/03

Igreja: lugar de conforto ou ambiente gerador de culpa?

Filed under: igreja — mariogoncalves @ 11:19 am

Estava na aula ontem à noite e meu amigo Vitor Hugo me emprestou por alguns instantes um livro que ele recém adquiriu: “Quando coisas ruins acontecem a pessoas boas”.

Dei uma olhada rápida no livro do rabino Harold Kushner e uma das muitas coisas que me chamou a atenção foi a reação das pessoas diante da dor e do sofrimento. Geralmente associamos alguma tragédia, doença ou morte com algo que fizemos ou deixamos de fazer.

Ele dá alguns exemplos: um casal perdeu a filha de dezenove anos e a primeira coisa que vem à mente foi a não observância do jejum no dia do Yom Kippur (eles são judeus). Deus estava castigando-os pela sua desobediência. Como eles não foram fiéis, Deus estava lhes retribuindo aquilo que mereciam.

Isso nos faz pensar o quanto o ambiente eclesial vai de encontro a nossa dor. Não como um bálsamo para as feridas, mas para reforçá-las e deixar-nos pior. Com medo de retaliações da parte de Deus.

Com certeza, esse pensamento que nos foi imposto ao longo do tempo, nos faz crentes “fiéis” nos dízimos, nas ofertas, no dinheiro para o departamento de Missões, na construção da Igreja, etc e nos leva a pensar que fizemos a nossa parte, aplacamos a ira de Deus e estamos a salvo. Ufa!!! Agora tenho moral diante Dele para talvez até exigir alguma coisa, afinal sou filho do Rei!

Outro “conforto teológico” é quando perdemos um de nossos queridos, principalmente jovem e dizemos: Deus sabia que ele iria se desviar, por isso Ele levou-o antes.

O salmista, em plena dispensação da Lei (dispensações: outro assunto para conversarmos) nos diz no salmo 103:

“…Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos recompensou segundo as nossas iniqüidades…pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos humanos (pó)…”

Nossas Igrejas são ambientes de cura para a alma?

Qual o teor e o conteúdo das nossas pregações?

Como nossos filhos conceberão Deus?

Que tipo de relacionamento temos com o Senhor Jesus?

2009/02/19

Relacionamentos eclesiais

Filed under: igreja — mariogoncalves @ 2:58 pm

2009/02/11

Dízimos

Filed under: igreja — mariogoncalves @ 9:40 am

LEI nº 8.664 DE 27 DE JANEIRO DE 2009.

“Dispõe sobre a criação do Dia Municipal do Dizimista e ofertante no Município de Belém, e dá outras providências”.

O PREFEITO MUNICIPAL DE BELÉM,Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM, estatui e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Fica criado com méritos na cidade de Belém, capital do Estado do Pará, o Dia Municipal do Dizimista e do Ofertante cristão consciente, a comemorar no dia 18 de maio de cada ano.

Art. 2º VETADO

Art. 3º Estabelece que no decorrer das comemorações referidas ao evento, seja divulgado em alto e bom som o que está escrito da Bíblia Sagrada no livro de Malaquias cap. 3 vol. 10, que diz: “Trazei todos os dízimos à Casa do Tesouro para que haja mantimento na minha casa…”, e também o que está escrito no mesmo livro no cap. 3 vol. 18: “Então vereis a diferença entre o que serve a Deus e o que não o serve…”

Art. 4º. Ficará por conta e responsabilidade das emissoras de comunicação ligadas ou pertencentes às igrejas cristãs, a divulgação dos ensinamentos abaixo relacionados:

§ 1º Conscientizar a membrasia das igrejas cristãs em geral;

§2º Aconselhar e disciplinar a igreja a respeito do assunto;

§3º Estimular o povo cristão mostrando a necessidade da prática de ofertar e dizimar por parte do cidadão, praticante ou não.

Art. 5º As igrejas cristãs ficam com a missão de encorajar o povo a praticar a entrega ou devolução de dízimos e ofertas como prova da obediência no que ensina a Constituição divina, a “Bíblia Sagrada”, a palavra de Deus que é o bálsamo para o coração da família.

Art. 6º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

PALÁCIO ANTONIO LEMOS, 27 DE JANEIRO DE 2009
DUCIOMAR GOMES DA COSTAPrefeito Municipal de Belém

fonte: Diário Oficial do Município de Belém dica da Ana Claudia Braun Endo via pavablog.blogspot.com

Fica claro nessa lei municipal a correlação que muitos pastores e pregadores fazem com a fidelidade ao ato de dizimar e a “benção” de Deus sobre a vida do dizimista.

Sou dizimista, mas creio que as motivações e a forma como se pede as contribuições levam os
cristãos a ofertarem por medo de maldições e retaliações da parte de “deus”.

Talvez seja um sonho, mas desejo ver centenas de pessoas dispostas a ofertar e se doar para o Senhor de forma espontânea, alegre e voluntária!

2009/02/06

“E haverá um só rebanho e um só Pastor”

Filed under: igreja — mariogoncalves @ 6:22 pm

Quem são as ovelhas?
De quem são as ovelhas?
Quem é o Sumo Pastor?

Essas perguntas podem ser respondidas, lendo sem pressa (pressa, um dos males desse século) o capítulo 10 do evangelho de João.
Jesus veio em primeira mão para as ovelhas perdidas da casa de Israel, mas nesse texto Ele diz que existem outras ovelhas, que não são desse aprisco e é necessário que sejam conduzidas para o Aprisco. Para que ouçam a voz do Pastor. Sabemos pela própria Escritura que essas outras ovelhas são os gentios, enxertados na oliveira. Nós.

Através da voz, reconhecemos pessoas amadas: esposa, pai, mãe. Em noites escuras e chuvosas, a voz de nossos pais, simplesmente, transmitia segurança aos nossos temerosos corações. A voz de nossos pais nos dizendo por onde deveríamos andar, para que não nos machucasse, bastava para que aceitássemos sem questionar o caminho proposto.
A Voz do Pastor nos guia às águas tranqüilas. Mesmo no vale da sombra e da morte, não precisamos temer, porque Ele está conosco.

Existia um jornaleiro (Almeida versão 1819) que era contratado para cuidar das ovelhas. Das ovelhas do Pastor. Mas na aproximação do lobo e dos perigos que cercavam o rebanho, ele tratava de salvar a sua vida (conforme Jo 10. 12) e deixava que o lobo dispersasse e aterrorizasse as ovelhas.

Ele foge porque é assalariado (ver. 13 NVI) e não se importa com a ovelha.

Importa-se com a lã das ovelhas. Por que é dali que vem seu salário.
Importa-se com a função de pastor. Por que isso lhe dá direito de dominação sobre as ovelhas.
Importa-se pelo título de pastor. Pois isso lhe confere status espiritual elevado. Autoridade espiritual sobre as ovelhas.
Importa-se em proteger o lugar onde exerce sua função (púlpito). Por que é dali que ele monopoliza a voz do Sumo Pastor.

Mas existe um rebanho que anseia ouvir a voz do seu Pastor. E o Pastor deixou claro que quer conduzi-las, pois deu Sua vida por elas. As ovelhas ouvirão a voz do Pastor e o seguirão.

E então haverá um só rebanho e um só Pastor.

Blog no WordPress.com.